Manga, do verbo mangar, presente do indicativo, terceira pessoa do singular, expressão bastante conhecida no sertão; eu mesma cansei de escutar: ela está mangando de fulana. O sujeito da ação se diverte, mas o objeto da chacota não, muitas vezes nem sabe que está sendo alvo da mangação.

Em outra acepção é um substantivo feminino para nomear as partes de uma roupa, pode estar presente em blusa ou vestido; usada em oposição à alça, as mangas podem ser cumpridas ou curtas.

Existe a expressão composta: colocar as mangas de fora, quando alguém está revelando ser uma coisa que não era e ainda a outra: arregaçar as mangas, sinônimo de ação, trabalho, proatividade. No interior de Pernambuco, escutei a expressão “teu cabelo está parecendo um caroço de manga chupado”, para dizer que o cabelo está “lambido” ou tem pouco volume. “Parece o cão chupando manga” é sinônimo de coisa feia. Até hoje não consegui entender a associação feita entre o diabo e a fruta.

Também pode ser substantivo feminino, a fruta da mangueira , de coloração verde-amarelada e nas variações manga-rosa e manga-espada, ocupou várias páginas das cadernetas do meu avô que anotava a quantidade de mangas presenteadas aos amigos. Em Recife, o zelador nos trouxe uma sacola dessa fruta, colhida nos quintais dos prédios vizinhos e em Salgueiro, as mangas nascidas no Angico acalentavam o paladar.

Parte da civilização moderna, pós-moderna? aboliu o ato prazeroso de chupar essa fruta, lambuzando-se: as mãos, o queixo, a boca, fiapos presos nos dentes, até restar apenas o caroço, produto de toda manga bem degustada.

Em frente de casa, batizei uma árvore de mangueira-mãe, feição acolhedora: tronco firme, copa larga, parece nos abraçar. Há espaço para muitos frutos nascerem nos galhos que abrigam bem-te-vis, sebinhos, andorinhas e gaviões, que se alimentam das aves anteriores. Nomearam isso cadeira alimentar, os humanos fazem parte dela e algumas vezes também querem engolir uns aos outros.

Na safra dessa fruta, você poderá encontrá-la no meio fio das ruas, recém-caída do pé, ou com a casca arrebentada com o atrito da queda. Também poderá avistar pássaros bicando-a, fazendo seu banquete. A qualquer momento uma poderá cair em sua cabeça, quando estiver caminhando.